Facebook
Twitter
Youtube
Discord
Mixer

Review – Yonder: The Cloud Catcher Chronicles – 9/10

Indie PC Play Anywhere Reviews Xbox One Xbox One X

DATA DE LANÇAMENTO 27 de Fevereiro de 2019 
ESTÚDIO
Prideful Sloth
EDITORA Prideful Sloth
SINGLE-PLAYER ✅
MULTIPLAYER ❌

CO-OP ONLINE ❌
CO-OP LOCAL ❌

DLC ❌
CATEGORIA Aventura, Crafting,Exploração, Mundo Aberto
PREÇO 29,99€
PLATAFORMA ONDE FOI JOGADO Xbox One X
OPTIMIZAÇÕES PARA A XBOX ONE X 4K Ultra HD, Xbox One X Enhanced
SITE OFICIAL

por Hugo Urbano
Kaizord

Yonder: The Cloud Catcher Chronicles – Exploração Royale!

Olá! Hoje trago-vos a análise e crítica de Yonder: The Cloud Catcher Chronicles um Indie de exploração, crafting e aventura protagonizado na ilha de Gemea com visuais de cortar a respiração!

Começamos a nossa aventura à procura da ilha de Gemea com a ajuda da nossa tripulação e a bússola celestial, um misterioso item que indica sempre o caminho certo a seguir. Tudo parece estar a correr a nosso favor quando um trovão abate sobre o nosso barco e o mesmo é completamente destruído! Não temam! Tanto nós como a nossa tripulação estão a salvo, quem nos assegura é uma entidade chamada Aaerie, uma protetora de Gemea, que nos encarrega de uma árdua tarefa: encontrar membros da sua família (Sprites) e libertar Gemea da escuridão ou Murk.

Yonder The Cloud Catcher Chronicles

(É assim que começamos a nossa aventura, em Gemea, um mundo novo cheio de cor e muito… muito para explorar!)

Após sermos despertados como um Sprite-Seer e recebermos o nosso primeiro Sprite, partimos então à procura de pistas sobre a nossa tripulação e o nosso lugar neste novo mundo de fantasia. Com a ajuda da nossa bússola celestial temos sempre a localização exacta de onde nos temos de deslocar e com um quest log muito intuitivo é muito fácil navegar e não nos perdermos na história principal em Yonder: The Cloud Catcher Chronicles.

De visita à primeira aldeia no jogo, temos várias quests que nos recompensam com as ferramentas básicas e tutoriais básicos para sobrevivermos e ajudarmos Gemea, no total existem 4 ferramentas principais que podem usar e cada uma delas está intrinsecamente ligada a crafting (e cada uma das suas vertentes) e ao dia a dia em Gemea.

O objectivo do jogo é muitíssimo claro desde início: estamos em Gemea à procura da nossa casa, dos nossos amigos e pelo meio vamos ajudar a população local a devolver a luz e vida que outrora existia na ilha. Com isto não quero dizer de todo que o mundo de Yonder: The Cloud Catcher Chronicles não abunda quer de luz ou vida, antes pelo contrário! Cada uma das oito distintas localizações de Gemea tem o seu próprio ecossistema, vegetação e vida selvagem. Desde praias tropicais a cumes de montanhas cobertos de neve em cada recanto de Gemea há sempre algo novo para explorar e além desta diversidade visual, podem esperar grandes mudanças também no dia a dia visto a ilha ser na verdade um mundo dinâmico! Estações afetam rotas, os animais migram, ciclos de dia/noite e o tempo afetam o mundo e a nossa maneira de poder interagir com o mesmo.

Yonder The Cloud Catcher Chronicles

(Meu deus, que bicho fofo é este?? Como assim podemos ter um na nossa quinta? Levo dois então!)

O sistema de crafting em Yonder: The Cloud Catcher Chronicles é muito simples e intuitivo, como já estamos habituados em outros jogos do género a criação de itens baseia-se na procura e colheita de materiais espalhados pelo mundo e depois com as nossas receitas (procurar novas receitas é um dos objectivos principais de crafting em Yonder: The Cloud Catcher Chronicles) podemos criar os itens desejados, sendo que com o passar do tempo e experiência conseguimos criar cada vez mais itens mais complexos. Enquanto no crafting com certeza que Yonder: The Cloud Catcher Chronicles não é inovador, gostei muito de podermos adquirir materiais sem ser apenas com exploração. O jogador pode ter uma quinta com vegetais, animais, entre outros que produzem materiais complexos e de maior valor e além disto podemos também visitar NPC’s especializados em trocas que sustentam toda a nossa economia de criação e construção no mundo de Yonder: The Cloud Catcher Chronicles.

Outro excelente ponto positivo ainda referente a crafting e à exploração, resulta no facto que à medida que vamos libertando uma zona do Murk vamos aumentado a felicidade da população local, isto traz-nos inúmeras vantagens tais como: colheitas mais produtivas, melhores preços nos traders, entre outros. O ponto principal é que em Gemea, cada acção do jogador gera um impacto à sua volta e nos seus habitantes ajudando à narrativa de uma maneira muito simples mas ao mesmo tempo muito gratificante.

(O sistema de crafting e de trocas com NPC’s acrescenta a Yonder The Cloud Catcher Chronicles um sentimento muito gratificante por explorarmos e construirmos itens além dos necessários para a missão principal)

No capítulo do sistema de combate e armas… Bem! Em Yonder: The Cloud Catcher Chronicles ambos são inexistentes! O que ao princípio poderia parecer como um ponto negativo sem oferta de um sistema de risco-recompensa nas minhas aventuras, rapidamente se tornou na característica mais cativante e mágica deste jogo. Em Gemea não se trata de combate e derrotar monstros, mas sim de auto-descoberta, entreajuda, trabalho e muita exploração! Para os mais cépticos como eu, apenas ao experimentarem este belíssimo jogo conseguem perceber que um sistema de combate não encaixaria em Yonder: The Cloud Catcher Chronicles.

(É impossível ficar indiferente à simplicidade e beleza do mundo em Yonder: The Cloud Catcher Chronicles)

Além de todas estas características únicas em  Yonder: The Cloud Catcher Chronicles, podem esperar uma main story de mais de 8 horas (dependendo do vosso ritmo) e centenas de horas para poderem explorar a fundo este novo mundo que a nível visual está completamente fantástico cheio de muita cor e paisagens de cortar a respiração aliado a uma banda sonora relaxante (que encaixa que nem uma luva!) com efeitos sonoros surpreendentes para um título indie de exploração. Controlos muito intuitivos, simples de usar e que não comprometem a experiência do jogador aliados a uma performance sem qualquer quebra em todos os momentos do jogo.

Pouco resta por dizer sobre este excelente jogo sem spoilar o leitor! Desde a sua qualidade técnica como à sua execução Yonder: The Cloud Catcher Chronicles é um jogo de excelência e certamente um dos melhores jogos de exploração indie que já joguei desde o lançamento de Stardew Valley. Um jogo que respeita o ritmo de todos os tipos de jogador e ao mesmo tempo consegue ser tão relaxante e reconfortante nas suas variadas estações. Recomendo a todos os fãs, de todas as idades, que gostam de exploração a experimentarem Yonder: The Cloud Catcher Chronicles e relembrar que está disponível para Xbox One e PC com o Play Anywhere!

RESUMO

Prós
• 
Mundo aberto com muitas actividades para explorar e completar
• Sistema de crafting é intuitivo e fácil de usar
• Yonder: The Cloud Catcher Chronicles não ter combate é um ponto muito positivo

• Visuais fascinantes com paisagens de cortar a respiração
• Controlos e movimentos fluídos durante toda a aventura
• História simples e cativante
• Procurar e coleccionar Sprites é gratificante
• Banda sonora encaixa que nem uma luva no ambiente de Gemea

Contras
• Pequenos bugs no sistema de troca entre alguns NPC’s permitem trocar itens infinitamente

Pontuação final: 9/10

Uma lufada de ar fresco nos indies de exploração… Um jogo que não precisa de um sistema de combate para brilhar em tudo o resto que o faz ser único e de referência na industria. Um indie com muita qualidade, paisagens de cortar a respiração muitas horas de jogo e conteúdo para explorar o belíssimo mundo de Yonder: The Cloud Catcher Chronicles.

A equipa do Xbox PT Dummies agradece à Prideful Sloth pelo envio do código do jogo para a realização desta review.

5/5 (1)

Vota neste artigo

Deixa uma resposta

O teu endereço de e-mail não será publicado.

Tu podes usar estes HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>