Facebook
Twitter
Youtube
Discord
Mixer

Review – Windscape – 6.5/10

Reviews Xbox One Xbox One X

DATA DE LANÇAMENTO 27 de Março de 2019
ESTÚDIO Magic Sandbox
EDITORA Headup GmbH
SINGLE-PLAYER ✅
MULTIPLAYER ONLINE ❌
MULTIPLAYER LOCAL ❌
CO-OP ONLINE ❌
CO-OP LOCAL ❌
DLC ❌
CATEGORIA Acção, Aventura, RPG
PREÇO 19,99€
PLATAFORMA ONDE FOI JOGADO Xbox One
OPTIMIZAÇÕES PARA A XBOX ONE X ❌
SITE OFICIAL

Por Ricardo Gomes
PhantomW0lf2049

Windscape, o novo jogo recém chegado à Xbox One que o pessoal chama o The Legend of Zelda da Xbox… infelizmente, posso dizer que não é. Mas antes que se vão todos embora, gostaria de vos explicar o porquê de Windscape não ser o novo Zelda. Bem, antes de mais alguma coisa, deveríamos de falar sobre quem é que criou esta bela peça, e foram as belas pessoas que trabalham na Magic Sandbox, e na Headup Games… ou Head GmbH segundo a página da loja da Microsoft… bom continuando. Se este nome não vos é estranho, é porque provavelmente já viram o trabalho desta boa gente, que se chama Bridge Constructor Portal. Mas agora focando mais no jogo em si… qual é o problema do jogo? Onde é que os devs falharam? Vamos responder a essas perguntas todas e mostrar também os pontos positivos, e a razão pela qual eu acho que deveriam gastar 20 euros neste belo jogo.

Quando entrei no Windscape, fiquei deveras horrorizado com os gráficos do jogo, pois não são os melhores de todo, especialmente da personagem principal, em que podemos ver cada polígono que foi usado para criar a cara e o resto do corpo da nossa heroína. Mesmo com os gráficos pouco apelativos, pensei que eles se teriam focado mais na história ou na jogabilidade, para criar uma experiência muito idêntica ao Zelda… mas não. A história, se bem que eu tenho medo de usar este termo, pois é completamente atirada à cara do jogador, leva-nos a perceber que, aparentemente, estamos num mundo de ilhas flutuantes que estão a ser invadidas por monstros. E como é que nós iniciamos esta grande aventura? Com uma quest de um Grande Mestre? Com um pedido de um Rei? Não. O nosso pai pede-nos para ir até à próxima vila para entregar algo antes do jantar. E nós nunca mais voltamos a casa, nem para avisar os nossos pais que vamos embarcar numa aventura para salvar o mundo lutando contra bestas de todos os feitios e tamanhos possíveis. Eu não percebi muito bem qual era o plot do jogo em si, até estar basicamente quase no final do jogo, a lutar contra inimigos com ataques mais poderosos que os nossos escudos e que são imunes a ataques de longa distância. Eu tinha muitas esperanças que isto seria um jogo bastante bom, mesmo tendo estes gráficos pouco apelativos no ano de 2019.

Mas, infelizmente, a história em si não chegou para salvar o jogo, pois a maior parte do tempo parece que estamos a fazer recados para a policia local. Já para não dizer que o jogo todo em si é um enorme tutorial, e eu sinto que isto é um dos poucos pontos positivos que salvam o jogo, pois a maneira como eles explicam como o jogo funciona é um dos melhores aspectos que tem.

Em termos de combate, os escudos são bastante úteis com os inimigos mais fracos, mas mais para a frente, ter um escudo ou não é praticamente igual, pois o dano é muito mesmo com um, tendo em conta que para dar upgrade ao escudo, temos só que criar uma espada ou machado diferente. Outra coisa que não consegui entender também, foi o facto de os inimigos não fazerem sentido nenhum. O balanço de monstro para monstro não está correcto, pois temos os bandidos que podem morrer bem facilmente com armas de combate de curta distância, ou com um ataque de magia fraco, mas depois temos as múmias que são imunes a ataques de magia ou de arco e flechas e também são resistentes a cortes. Estas múmias existem na segunda região do jogo, e já para não dizer que as múmias fazem muito dano mesmo, e que precisamos de matar as múmias e esperar que elas nos dêem os itens que nós precisamos para fazer uma arma que é minimamente efectiva contra elas.

Tirando estes pontos negativos todos, ficamos com um jogo muito semelhante a um bom Zelda e com elementos de Dark Souls lá dentro também. Windscape é um jogo bastante bom, infelizmente não parece que foi bem feito, ou bem aperfeiçoado. Parece que falta-lhe algo para lhe dar um ênfase. Eu diverti-me imenso com este jogo, está mesmo bom nesse aspecto, mas estes pontos negativos estragam e definem este jogo. Com estes aspectos negativos, que para mim são negativos e que para algumas pessoas são bons até, Windscape torna-se único, bom e capaz de deixar uma marca positiva neste mês, ou até neste ano.

RESUMO

Prós
• Um jogo bem estruturado.
• Explicação das mecânicas do jogo muito bem feita

Contras
• Uma história mal contada, e atirada à cara do jogador.
• Jogabilidade e balanço de inimigos pouco aperfeiçoada.

Pontuação final: 6.5/10

Um jogo bastante divertido, mesmo com os seus pontos negativos, quase um novo Zelda.

A equipa do Xbox PT Dummies agradece à Head GmbH pelo envio do código do jogo para a realização desta review.

1/5 (1)

Vota neste artigo

Deixa uma resposta

O teu endereço de e-mail não será publicado.

Tu podes usar estes HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>