Facebook
Twitter
Youtube
Discord
Mixer

Review – Tom Clancy’s Ghost Recon Breakpoint – 7.9/10

Reviews Ubisoft Xbox One Xbox One X

DATA DE LANÇAMENTO 4 de Outubro de 2019
ESTÚDIO
Ubisoft Paris
EDITORA Ubisoft
SINGLE-PLAYER  ✅
MULTIPLAYER ONLINE
MULTIPLAYER LOCAL
CO-OP ONLINE
CO-OP LOCAL

CATEGORIA Acção, Aventura, Mundo-Aberto, Shooter, TPS
PREÇO 69,99€ | 99,99€ | 119,99€
PLATAFORMA ONDE FOI JOGADO Xbox One X
OPTIMIZAÇÕES PARA A XBOX ONE X Xbox One X Enhanced, HDR10
SITE OFICIAL

por Tiago Ruão
IOverdoneCrownI

Poderão ver o nosso gameplay do jogo AQUI.

Tom Clancy’s Ghost Recon Breakpoint é um shooter muito táctico baseado nas Squads militares, que conta com um mundo aberto gigantesco cheio de inimigos por todo o lado e onde terás de ter muito cuidado com as abordagens contra eles, pois qualquer erro é fatal! Podes jogar sozinho, o que torna tudo mais difícil, mesmo na dificuldade regular (existem quatro dificuldades: Arcade, Regular, Advanced e Extreme), ou podes jogar em co-op com mais três amigos e assim formas uma Squad para lutares pela sobrevivência em Aurora. Lembra-te que todas as escolhas que faças terão consequências, logo escolhe as alianças certas.

Aurora é um arquipélago e lar da Skell Technology, uma empresa de tecnologias do mais alto nível, capaz de criar coisas fantásticas e nunca imaginadas. Porém foi perdido o contacto, e somos enviados mais a nossa squad de Ghosts numa missão de reconhecimento para sabermos o que se passa. Mas quando nos aproximamos do nosso objectivo, os nossos helicópteros são abatidos sem aviso prévio, de forma muito silenciosa. Sem sabermos o que se passa, caímos um a um, como moscas. Quando acordamos da queda do nosso helicóptero deparamos-nos com uma equipa de reconhecimento, para saber se haveria sobreviventes. Essa equipa não veio para ajudar e sim para se certificar que estaríamos todos mortos.

À medida que vamos procurando sobreviventes, deparamos-nos com uma ex-unidade militar aclamada de Wolves, que pelos vistos se apoderou de Aurora. E, como se se isso não bastasse, fizemos outra descoberta: essa unidade é comandada por um ex-camarada nosso, o Coronel Cole D. Walker, alguém em quem confiávamos muito e ficamos sem saber o que se passa e o motivo por detrás das suas acções. Para ajudar à festa, os Wolves reprogramaram os drones da ilha para se tornarem em armas de guerras bem sucedidas, independentemente de matarem civis ou não.

Aurora é um mundo aberto gigante mesmo, com muita coisa para fazer e é tão grande que mesmo ao andarmos de helicóptero as distâncias são enormes. Mas não temos de entrar em desespero, pois estão espalhados pelo mapa centenas de Bivouacs e temos um na nossa base (Erewhon), que podemos utilizar para fazer fast travel, assim como pedirmos veículos, comprarmos armas e fazermos craft a alimentos para melhorar a capacidade ao recebermos dano dos inimigos, entre outros. São também os únicos sítios onde podemos mudar a classe que temos para uma abordagem diferente.

Por vezes escolhemos missões para fazer, e quando damos por nós estamos a fazer tudo menos a missão, pois existem muitos acampamentos, muitas bases militares para saquear e buscar o loot para tornarmos-nos mais fortes. Em Ghost Recon Breakpoint, podes customizar o teu Ghost, desde a aparência, incluindo tatuagens, a armamento, roupas, capacetes, chapéus, calças, botas, etc. Tudo isso irá ajudar a subir o teu “poder”, tornando-te mais mortífero/a, e cada uma dessas coisas têm status diferentes. Por exemplo, armas Snr (Snipers) dão-te +30 para Range e +30 para Handling. Já os capacetes ou chapéus têm status diferentes, como por exemplo +8% de Health Regen Speed e +8% de Explosive Damage. Mas esses Status mudam conforme a Class que tens.

Podes também mudar a pintura dá tua arma com skins, ou usares várias pinturas na mesma arma, como a arma em si, o cano, o carregador, a mira, o silenciador, etc. Poderás também melhorar o desempenho dela, e cada upgrade que fizeres nessa arma requer materiais, materiais esses que podem ser obtidos de diversas maneiras. A mais fácil, é desmantelares as armas que não queres, que encontras no chão pelo mapa. Mesmo gastando os materiais, mesmo que depois desmanteles essa arma, a próxima arma semelhante que ganhares será melhor devido ao nível em que estás, e estará com todos os upgrades que fizeste nela. Ou seja, não perdes nada! Depois, podes também mudar o carregador para um com mais balas, a mira com o silenciador, etc. Para teres isso, terás de achar estes itens nesse mapa gigante e depois comprares (no jogo) para teres acesso a eles. Mas não te preocupes! Existem pistas para saberes onde estão, pistas essas que encontras facilmente.

Existem 4 classes diferentes: Field Medic, Assult, Panter e Sharpshooter, e podes escolher cada uma delas e evoluir cada uma delas durante o jogo. Não é só escolher uma classe e está tudo feito. Longe disso! Cada classe tem desafios diferentes para fazeres e para subires de nível, até ao máximo, o nível 10. Os desafios são 4 de cada vez, mas cada desafio é diferente e pode ser mais difícil ou mais fácil de ser feito.

Cada classe tem as suas características. Por exemplo, a class technique do Field Medic é o Healing Drone (que cura e revive colegas de equipa), o class item é o medkit (que cura quando estás ferido/a gravemente e ganhas vida extra), e as class proficiencies consistem em reviver mais rápido, carregar os corpos mais rapidamente e poderes reavivar-te a ti mesmo. Esta última opção não está presente no multiplayer nem PvP.

Depois de escolheres a tua classe, conforme sobes de nível ganhas pontos para utilizares numa árvore de habilidades bem grande, e essas skills irão ajudar-te bastante. Ao evoluíres no jogo, vais desbloqueando perks, que são diferentes e podes usar em qualquer classe. Só podes usar 3 perks, e podes sempre mudar entre campanha e PvP para usares perks diferentes.

A campanha é grande mesmo que não querias fazer as side missions (que são bastantes!), e o jogo não tem só as main missions ou as side missions, tem também as factions missions. Umas são temporárias e outras não, ou seja, tens um certo tempo para as fazeres ou não as podes fazer mais. Com as factions missions (e também no PvP), ganhas uns pontos que usas para as Battle Rewards.

Depois temos os Collectibles que estão espalhados e assinalados pelo mapa, que podes escolher apanhar ou não, conforme quiseres. Se não os viste ainda, terás uma pista para os encontrares. Tens as Blue Prints das armas e dos attachments também, e as localizações especificas que indicam onde estão. Com o decorrer do jogo, tens investigações que resolves conforme as coisas vão acontecendo e, com isso, ganhas mais experiência no jogo e ficas a saber mais do que se passa.

Depois tens o PvP do jogo, que baseia-se em eliminar a equipa adversária, plantares as bombas ou fazer hack quando possível. Mas se o jogo demorar muito tempo, a área de jogo vai ficando mais pequena por causa de uma parede vermelha semelhante ao que acontece nos jogos battle royale, obrigando os jogadores a mexerem-se. Ao jogares PvP tens 48 missões e, por cada uma que completares, ganhas um ou dois pontos de skill para usares, e ganhas também loot para melhorares o teu Ghost.

O jogo supostamente dá acesso às Raid Missions, mas quando vais para lá deparas-te com drones que não te deixam passar e recebes logo instant kill, ou seja, dão-te a missão mas não a podes fazer. Não percebo o que se passa, pois nem passagem secreta podes ter, pois é uma ilha e aquilo está espalhado à volta dela. Isto estraga o bom trabalho que o jogo teve a ser feito.

Encontrei bugs visuais, mas nada que afectasse o gameplay. Cheguei a ter um em que fiquei preso numa rocha e tive de me matar para sair de lá, mas a culpa foi minha pois fui eu que fiz esse bug acontecer. Afinal, quem me manda tentar subir montanhas à força toda? Quando estamos a falar com os NPCs, já tivermos lido as legendas e formos a passar à frentes, por vezes as vozes ficam umas em cimas das outras. Mas não é sempre, e em certas cutscenes a câmara está a focar mais acima do rosto ou abaixo do rosto. Também quando fazemos certos interrogatórios de “bons modos” aos inimigos, fazemos uma pergunta e eles respondem “Já te disse tudo o que tinha a dizer por favor não me mates” e tu ficas, mas “disseste o quê mesmo?”, ou seja, consultas a informação das investigações e aí actualiza a missão e por vezes lês que dizem mesmo as coisas todas. De resto, nada a apontar a não ser a questão mesmo das Raids.

A jogabilidade está muito boa, suave e bem fluída, mas temos de ter cuidado a descer sítios altos, mesmo no PvP, pois a tua personagem escorrega e vai por ali abaixo a perder vida deixando-a gravemente ferida, mas na classe Assult, por exemplo, já se consegue aguentar mais das pernas. Os gráficos estão espectaculares, com o clima dinâmico de noite e a chover, mesmo em PvP, não vemos nada devido ao detalhe enorme da vegetação, o que está muito bom. O som é magnífico, ouve-se bem de onde vem o inimigo, o tipo de piso que estão a pisar e por aí fora.

Ghost Recon Breakpoint traz uma experiência mesmo boa e com bastante conteúdo! Precisa é de algumas melhorias.

RESUMO

Prós
• Mapa enorme.
• Muito conteúdo.
• Muito táctico e um PvP que funciona às mil maravilhas.
• Nas falas vemos bem as emoções que querem transmitir.
• Gráficos.
• Jogabilidade.

Contras
• Bugs visuais.
• Bugs em certas falas.
• Darem a missão de raid e não a poderes fazer.
• Falas ficarem sobrepostas quando passamos à frente. 

Pontuação final: 7.9/10

A equipa do Xbox PT Dummies agradece à Ubisoft pelo envio do código do jogo para a realização desta review.

Não há votações ainda.

Vota neste artigo

Deixa uma resposta

O teu endereço de e-mail não será publicado.

Tu podes usar estes HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>