Facebook
Twitter
Youtube
Discord
Mixer

Review – Ninjin: Clash of Carrots – 7.5/10

Reviews Xbox One

DATA DE LANÇAMENTO 4 de Setembro de 2018
ESTÚDIO Pocket Trap
EDITORA Modus
SINGLE-PLAYER ✅
MULTIPLAYER ✅

CO-OP ONLINE ✅
CO-OP LOCAL ✅

DLC ❌
CATEGORIA Acção, Aventura, RPG
PREÇO 14,99€
PLATAFORMA ONDE FOI JOGADO Xbox One S
OPTIMIZAÇÕES PARA A XBOX ONE X ❌
SITE OFICIAL

por Igor Gonçalves
Ig0r09

Criado inicialmente para iOS, eis que Ninjin – agora descontinuado na plataforma da Apple – se iniciava no mercado de videojogos. O projeto foi concebido por apenas duas pessoas, e assim deu inicio à fundação do estúdio Pocket Trap, estúdio Brasileiro de São Paulo, que apesar de pequeno, consegue entregar experiências engraçadas e satisfatórias. Ninjin: Clash of Carrots é a versão definitiva da versão iOS, agora trabalhada para consolas e, claramente, melhor em tudo, sendo este o projeto mais ambicioso do pequeno, mas ambicioso estúdio Brasileiro.

O jogo mescla um estilo muito próprio the Beat ‘em Up, com um sistema aleatório de loot, em que o frenetismo das fases, os reflexos mais apurados e as composições de itens corretas, farão toda a diferença. Os elementos de RPG e personalização de visuais reforçam com um certo charme peculiar e provocam a repetição até de algumas fases dos jogadores que querem a composição de armas e acessórios mais poderosos.

Mapa do jogo.

A história coloca-nos na pele de Ninjin, um coelho ninja que vê na sua vila – outrora pacifica e sossegada – o seu maior tesouro ser roubado, e não, não se trata de dinheiro, ouro ou qualquer pedra preciosa, é muito mais do que isso. Trata-se de Cenouras, o que mais poderia ser? Um exército liderado pelo vilão do jogo, Shogun, saqueia a vila, e leva Ninjin nesta longa jornada para tentar recuperar tudo o que perdeu. Trata-se de uma premissa simples e sem muito segredo, misturando essencialmente momentos cómicos e nonsense. É o mais próximo de Naruto da época feudal imaginado pela cartoon network, e conseguimos notar bastantes influências desses três mundos distintos.

O Maaaiiior ladrão de cenouras.

A jogabilidade funciona muito bem nesta versão de consolas, sendo adaptado muito bem para quem gosta de jogar de comando. O jogo passa-se em fases de progresso horizontal, com ondas de inimigos, tendo por norma um chefe final ou um inimigo mais poderoso na última wave. A personagem só ataca para a frente, o que envolve bastante o uso de dash, talvez o factor mais interessante de toda a jogabilidade. Existe uma barra de vida, a qual pode ser recuperada em porções pequenas, dependendo do teu progresso de cada wave na fase, além de uma barra de stamina, consumida pelo uso do dash e pelo arremesso de armas, como shurikenou até bombinhas e kunais.

Depois de cada fase, podemos visitar a loja, onde poderemos trocar as cenouras ganhas por itens e acessórios para o personagem. Existem armas de curto e longo alcance, facas, lanças, troncos de árvores e até uma cana de pesca. Cada uma dessas armas tem as suas especificações, através do seu modo de ataque, ou a percentagem de critico que pode efetuar, o que torna os elementos de RPG muito interessantes. O mesmo funciona para os arremessáveis, com a vantagem é claro, de serem projetados à distância, dando muita vantagem contra uma vasta gama de inimigos. Já nos acessórios que poderemos comprar, conseguimos também dar um upgrade na estamina, ou até na vida da personagem, ou acrescentar um escudo, e mais tarde desbloquear o poder especial de cada elemento natural, mais uma vez inspirado claramente em Naruto. Além da loja de armas e acessórios, existe também a loja para cosméticos, mas não se assustem, não existem microtransações. Todos os acessórios cosméticos serão comprados com cenouras coloridas que eventualmente cairão durante as fases.

New enemy Appeared. A fazer lembrar Pokemon.

Os visuais do jogo estão longe de impressionar, mas não deixam de ser agradáveis. É uma experiência pixel-art muito caracterizada por um visual cómico e relaxado, com cenários bastante coloridos, mas que por vezes se repetem. O mesmo se pode dizer para a banda sonora, que agrada no início, mas que rapidamente cansa devido à sua repetição constante.

O maior problema de Ninjin: Clash of Carrots poderá ser, para alguns, o seu factor de repetição, não só na sua jogabilidade como também na sua “espelhagem” constante de cenários idênticos. Isto vai deixar o jogador mais atento aos pormenores um pouco desiludido, apesar de nada disto fazer qualquer diferença na jogabilidade, podendo apenas deixar a mesma um pouco repetitiva.

Luta contra um dos bosses do jogo.

RESUMO

Prós 
 Boa jogabilidade e muitas horas de diversão.
 Mecânicas RPG que tornam o jogo vivo e cativante.
 Co-op online ou Local.

Contras 
 Banda Sonora vulgar.
 Repetição de cenários e na jogabilidade podem cansar facilmente.

Pontuação final: 7.5/10

Ninjin: Clash of Carrots é uma agradável e criativa surpresa, e prova que o mercado Brasileiro consegue fazer bons jogos com muito pouco.

A equipa do Xbox PT Dummies agradece à Modus e Dead Good Media pelo envio do código do jogo para a realização desta review.

Não há votações ainda.

Vota neste artigo

Deixa uma resposta

O teu endereço de e-mail não será publicado.

Tu podes usar estes HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>