Review – Call of Duty: Modern Warfare – 7/10

Tiago Ruão

DATA DE LANÇAMENTO 24 de Outubro de 2019
ESTÚDIO
Infinity Ward
EDITORA Activision
SINGLE-PLAYER  ✅
MULTIPLAYER ONLINE
MULTIPLAYER LOCAL
CO-OP ONLINE
CO-OP LOCAL

CATEGORIA Acção, FPS, Shooter
PREÇO 69,99€ | 99,99€
PLATAFORMA ONDE FOI JOGADO Xbox One X
OPTIMIZAÇÕES PARA A XBOX ONE X 4K Ultra HD, HDR10
SITE OFICIAL

por Tiago Ruão
IOverdoneCrownI

Um jogo do qual os fãs estavam há muito tempo à espera, um Call Of Duty Moder Warfare ao estilo dos antigos. Um que prometia mundos e fundos, finalmente algo de interessante não só na sua jogabilidade, como na história da campanha. Será que passou nas expectativas dos fãs? Ou simplesmente esperávamos mais do que devíamos?

Na campanha, temos o papel dos operacionais Tier One, uma equipa altamente treinada e preparada para o que der a vier. Aqui iremos sentir muita acção, emoção e iremos participar em muitas missões “clandestinas”, ou seja, elas tecnicamente não o são, mas o governo não quer ver o nome manchado se as missões falharem. A narrativa é intensa, o que nos faz mergulhar mais rápido na experiência. Os gráficos, a jogabilidade, as expressões das personagens, tudo está muito bem trabalhado. É algo de espectacular. Nota-se muito bem o trabalho que tiveram.

Esta é uma campanha de facto muito boa e imersiva, mas no que toca as horas de jogo, bem,… isso infelizmente é curto. Passa muito rápido mesmo, e mesmo até na dificuldade máxima, o que é uma pena pois neste senti que a dificuldade máxima de facto não é tão difícil quanto isso.  O que se tem a apontar neste campo é isso mesmo, poucas horas de jogo e a dificuldade não é tão difícil quanto deveria para te dar uma experiência diferente.

Quando se acaba o modo história, temos sempre o modo Special Ops, que podemos jogar até quatro jogadores em co-op. É um modo de jogo onde se faz missões contra a IA, e onde podemos fazer qualquer tipo de alterações nas nossas classes de armas sem qualquer problema para ser algo mais fácil. Mas é também aí que as coisas se tornam um pouco mais difíceis, pois a dificuldade neste modo é simplesmente muito alta, o que dá um bom desafio. E não pensem que ao matarem os inimigos eles deixam de aparecer. Neste modo, os inimigos não param de vir simplesmente!

O Special Ops deveria de ser uma espécie de campanha em co-op, mas não é isso que nos faz sentir, apesar de no final da campanha dizerem que são missões clandestinas. E é aqui que as coisas se começam a complicar. Numa dessas missões, no Aeroporto, começam os bugs que nos fazem morrer. Por exemplo, quando estamos a ir para o avião de moto, não conseguimos passar nem por debaixo das asas do avião nem nada. Vemos os inimigos atrás do avião e, mesmo de Sniper, se dispararmos para eles por debaixo das asas, as balas parece que batem numa parede invisível. Não os conseguimos atingir nem passar por debaixo do avião, o que nos obriga a contornar o avião e, no meio desse caos, dois colegas de equipa morrem e os restantes chegam ao porão do avião. Quando finalmente nos acostamos lá bem atrás do porão, vemos os inimigos na rua a disparar e a bater numa parede invisível à nossa frente, e as texturas do jogo ficaram muito, mas muito más. Passamos para o novo objectivo, o jogo faz loading e apareço eu e um colega de equipa no avião sem inimigos e sem os nossos colegas de equipa restantes, que ainda estavam no Aeroporto ao lado do suposto avião. Corremos para o objectivo sem problema, mas na última parte da missão fizemos spawn, uns no meio dos inimigos, outros muito longe. Uns não conseguiam disparar, trocar de armas ou carregar. Acabámos por falhar a missão, mas mesmo assim ganhamos a recompensa se como a tivéssemos completado. Este modo de jogo merecia mais trabalho nesse aspecto, na correcção de bugs que continuei a ter em outras missões, o que não faz de todo querermos continuar a jogar.

Agora, e o Modo Multiplayer que todos os fãs estavam à espera? Depois de toda a controvérsia que tivemos por causa do modo de jogo exclusivo para a PS4, ainda por cima de um ano inteiro (o que é de facto muito tempo e que não tem qualquer fundamento, uma coisa é ser de um mês outra coisa é um ano), muitos fãs voltaram atrás na sua decisão de comprar o jogo, o que não ajudou em nada mesmo.

Contudo, mais uma vez entregam-nos uma jogabilidade muito boa, à qual estamos habituados e sem termos aqueles super soldados com exoesqueletos, nem a correr pelas paredes. Temos aqui um jogo fiel ao que era os antigos, mas com umas mudanças bem grandes. Temos os modos normais de todos os CoD, mas temos de ir ao Quick Play Filter para os encontrar, pois não estão logo à disposição. Depois de escolher os modos de jogo aí jogamos o que escolhemos. Outros modos à disposição mas fora do filtro vão mudando, como os habituais modos dedicados aos mapas Shoot House ou Shipment, onde apenas muda o modo de jogo.

Quanto ao resto, temos algumas alterações. Por exemplo, certos Perks, como Dead Silence, já não são um Perk e sim um Field Upgrade. No slot de granadas tínhamos o trophy system e outros, mas agora já não o usamos aí e sim nos Field Upgrades, que são upgrades que vão sendo carregados com o tempo e, uma vez prontos, podes usar. No caso do Dead Silence, corres ainda mais rápido e não fazes qualquer som. Dentro dos Field Upgrades temos opções como Munitions Box, Recon Drone, Deployable Cover, EMP Drone e outros. Temos também as Killstreaks que agora, se não fizeres as kills necessárias, não as desbloqueias e não as podes usar. E não podes também acumular. Depois de chegarmos ao rank quatro, podemos fazer as nossas loadouts, escolher as armas, as suas skins e attachments. Até recentemente, tínhamos apenas 5 slots para criar diferentes loadouts, o que era muito pouco, mas felizmente a Infinity Ward já actualizou para 10. Nos attachments agora podemos usar perks como Sleight Hand (carregar a arma mais rápido). No entanto, terás de usar e subir de nível das armas para desbloqueares tanto os perks como aos attachments.

De resto, temos o Operator Select, em que escolhemos a personagem que usamos tanto na Team Coalition como na Allegiance, mas terás de desbloquear algumas das personagens no modo campanha ou Special Ops. Por exemplo, o Otter da Coalition só fica desbloqueado se fizeres a missão Crosswind in Western Verdansk em Special Ops.

Nas Barracks, poderemos ver as estatísticas da progressão do rank, recordes, onde podemos ver a arma que mais usamos, vitórias e derrotas, entre outros. Poderemos também aqui customizar a nossa identidade com a Clan Tag, Calling Card, Emblems, Gestures e Sprays.

Temos também Missions e Challenges e, quando terminamos aquilo que nos pedem, recebemos o Loot, que pode consistir em, por exemplo, armas (mas que não as podes customizar).

A jogabilidade de Call of Duty: Modern Warfare está simplesmente maravilhosa. Joga-se bastante bem e é de fácil habituação. Os gráficos estão muito bons, tanto na campanha como no multiplayer. Já o som é outra coisa. Por vezes conseguimos ouvir muito bem o inimigo à nossa volta, por vezes nem por isso, mesmo se este não estiver a utilizar o Dead Silence, ou seja, peca um bocado.

Mas o que peca muito mesmo é a conexão aos servidores do jogo. Umas vezes temos a Nat Type Open, outra vezes moderada. Isto é muito mau, encontrarmos inimigos do outro lado do oceano e termos de usar o host deles e jogamos não só com a Nat moderada como com 300ms de ping… Durante os primeiros meses joguei com amigos na Xbox One, PC e PS4, e apenas os jogadores da PS4 não pareciam ter problemas, enquanto que os restantes, especialmente na Xbox One, eram constantemente desconectados dos servidores praticamente após cada partida. Recentemente parece ter melhorado, mas os problemas da NAT continuam e os servidores deviam estar melhor. E, apesar de estar corrigido de momento, não podemos esquecer a má experiência durante semanas a fio, constantemente a ter que sair do jogo e voltar a entrar, ou a convidar-nos uns aos outros para party depois de cairmos. A diferença dos servidores para jogadores de Xbox One e PC em relação à PS4 parecia demasiado óbvia. Depois, temos claro o modo Special Ops Survival Mode, que já está disponível na PS4 desde o lançamento, mas chegará à Xbox One e PC apenas em Outubro de 2020. Os contractos de exclusividade entre a Activision e a Sony já são bem conhecidos, mas normalmente passam por skins e pouco mais, durante alguns meses. Desta vez é um modo de jogo inteiro exclusivo por um ano. Colocar de lado a comunidade da Xbox e PC não cai bem, especialmente também com o desleixo dos servidores, demonstraram quais as prioridades da editora. Infelizmente, isto não torna o jogo melhor. É muito mau ao que eles fizeram com a Xbox. Dar este género de experiência a uma plataforma é triste. O jogo continua como todos os outros Call Of Duty, com as conexões aquém.

Call of Duty: Modern Warfare tinha tudo para ser muito bom e pecaram mais uma vez com os servidores, demonstrando sem muito disfarce as suas prioridades entre plataformas, mesmo sendo um jogo 3rd party.

RESUMO

Prós
• Uma campanha muito boa e imersiva.
• Mais conteúdo co-op.
• Jogabilidade.

• Cross-Play

Contras
• Má conexão online aos servidores.
• Bugs no Special Ops que intervêm na jogabilidade e experiência de jogo.
• Nem sempre podemos guiar-nos pelo som do jogo.
• Não podemos ver a quantidade de vezes que morremos durante uma partida, só no fínal.

Pontuação final: 7/10

A equipa do Xbox PT Dummies agradece à Ecoplay e Activision pelo envio do código do jogo para a realização desta review.

1.67/5 (3)

Vota neste artigo

Deixe uma resposta

Next Post

Overpass chega no dia 27 de Fevereiro à Xbox One!

Preparem os motores, que o tão aguardado jogo de corrida off-road da Bigben Interactive vai finalmente ser lançado no dia 27 de Fevereiro tal como prometido, já anunciado no Twitter oficial! E a marca Suzuki irá juntar-se ao cardápio de veículos incluídos no jogo. Confere o novo trailer abaixo: Para mais informações, […]