Preview – Cook, Serve, Delicious! 3?!

Catarina Ferreira

DATA DE LANÇAMENTO 2020
ESTÚDIO Vertigo Gaming
EDITORA Vertigo Gaming
SINGLE-PLAYER  ✅
MULTIPLAYER ONLINE
MULTIPLAYER LOCAL
CO-OP ONLINE 
CO-OP LOCAL

CATEGORIA Acção, Estratégia, Indie, Simulação
PREÇO A Anunciar
PLATAFORMA ONDE FOI JOGADO PC
OPTIMIZAÇÕES PARA A XBOX ONE X A Anunciar
SITE OFICIAL

por Catarina Ferreira
CATpt93TAC

Poderão ver o nosso gameplay do jogo AQUI.

Depois da bela surpresa com Cook, Serve, Delicious! 2!! em Abril do ano que passou, fiquei quase em êxtase assim que a Vertigo Gaming anunciou o 3º jogo com lançamento previsto para 2020. Lá fiz um choradinho e lá foram uns simpáticos a ceder-me uma cópia do jogo para o Steam para jogar em fase Early Access. Fui logo a correr mal pude, e lá me meti ao barulho de uma coisa que já nem me lembrava como se jogava. (Eh pah, não me julguem. Tenho demasiados jogos distintos para jogar e é difícil focar-me apenas em alguns…)

Como já tinha sido anunciado, o 3º título deste franchise é um pouco diferente. Num estilo que me lembra Diner Dash, não basta cozinhar e ser-se pro. Desta vez temos uma campanha que nos leva ao mundo pós-apocalíptico dos EUA, onde o nosso bem sucedido restaurante de CSD2 foi com os porcos e apenas nós, o chefe, sobrevivemos à sua destruição. As robôs Cleaver e Whisk, entusiasmadas por encontrar o chef de Cook, Serve, Delicious, arrastam-no numa aventura na estrada na sua rulote pelo país fora, entregando refeições deliciosas de forma frenética, enquanto se dirigem à nova capital dos EUA, Nashville, para demonstrar que são os melhores chefs!

O formato de Cook, Serve, Delicious! continua relativamente o mesmo, mas tem uma fórmula ligeiramente diferente, o que simplifica um pouco as coisas! Em CDS2, o dia passava por servir os diferentes clientes cozinhando e preparando refeições nas Holding Stations, para despachar alguns dos pedidos mais rápidos, ou realizando os pedidos simples um a um (nem sei onde raios foram buscar o termo simples para um autêntico pesadelo, mas ok…). Isto era feito de forma aleatória, na verdade, e o pesadelo chegava nas Rushing Hours, que consistiam nas horas de ponta do almoço e jantar, onde de repente era o caos.

Em Cook, Serve, Delicious! 3?!, com a rulote a passarinhar pela estrada, isto funciona de forma bem mais simples e divertida. A rulote terá algumas paragens durante a rota. Entre paragens, vamos tratando das ordens simples que aparecem na coluna esquerda que, quando completas, são embaladas e prontas a entregar na paragem seguinte. Assim que chegamos à paragem, está na altura de entregar os pedidos embalados e a comida previamente preparada nas Holding Stations! Isto torna o processo bem mais simples, pois não gera tanta confusão nos momentos mais intensos. Assim focamos-nos apenas numa coisa ou na outra, que são já de si bastante complicadas.

Adoro particularmente o facto de poder ter uma ideia de quantas refeições é preciso ainda fazer face àquelas que estão a ser feitas. No entanto, ainda me gera alguma confusão e não parece muito claro ao início, mesmo após saber o que significa cada parte. Por exemplo, na coluna das unidades necessárias para continuar e terminar o serviço actual, as 3 doses de tiramisù que tenho a mais deviam estar numa coluna diferente, ou seja, em vez de colocar um 3 entre parêntesis, seria mais simples talvez ter uma terceira coluna, portanto, as necessárias, as que estão a ser cozinhadas e as que tenho a mais, se for o caso.

Há outros factores que também mudaram em Cook, Serve, Delicious!. Por exemplo, já não existem as HS opcionais para criar pratos que aumentem a tolerância e tempo de espera dos clientes. Mal chegamos à paragem, os pedidos dão alerta e começam a querer escapulir passado algum tempo. Uma coisa que era característica dos primeiros dois jogos e foi retirada agora, são as tarefas chatas de enxotar os sacos de lixo no caixote cada vez mais cheio, limpar as sanitas, apanhar ratos e desinfectar o lugar das baratas. Um bocado nojento, sim. Embora fosse comum em Cook, Serve, Delicious!, confesso que se vive bem sem isso, pois quebrava um pouco o ritmo do dia, e neste novo formato seria o caos. Além de que… bom… Não estamos já num restaurante, verdade?

Ao contrário de CSD 2, onde tínhamos várias cadeias de restaurantes que ou aprendíamos a dominar ou sopas, e só contávamos com o nosso próprio restaurante para servir o que queremos e quando queremos, em CSD 3 o desafio torna-se mais livre mas bem mais interessante. Em vez de olhar para o menu pré-formatado e chatear-me porque tenho que fazer X ou Y de forma perfeita ao tentar ganhar medalhas de ouro, tenho alguma liberdade em criar o menu todos os dias! Claro, depende do tema e requisitos. Por exemplo, pode haver um tema que direccione os pratos perfeitos para fritos, sopas, tartes ou Dia de Acção de Graças, mas mesmo assim há hipótese de escolha.

Os mais difíceis passam pelos menus que requerem determinado número de refeições e nem sempre são as mais fáceis, ou requerem um determinado número de pontos totais. As refeições estão numa hierarquia de pontos, onde umas valem mais que outras. Este número varia de 0 a 5 pontos. Geralmente, isto também indicaria que as refeições mais valiosas são mais complicadas de realizar, mas não é bem verdade. Por exemplo, acho bem mais fácil preparar Brisket Slices (1) que produz mais de 10 unidades, do que Chicken Strips (0) que produz menos. E em termos de jogabilidade, até os BS são mais rápidos de fazer.

Posto isto, penso que seria uma boa ideia arranjar um sistema de informação que ordenasse os pedidos por vários tipos de dificuldade. Por exemplo, algumas Holding Stations requerem depois mais trabalho ao servir, como os Corndogs, que depois variam consoante o cliente que deseja Ketchup e/ou Mostarda, ou nenhum. Noutros, também é necessário continuar o pedido depois de cozinhado, para terminar umas costelas com molho e tempero, mas são bem mais simples pois o pedido é sempre o mesmo. Depois temos sempre aquelas refeições, quer nas HS, quer nas SO, que implicam folhear por um X número de páginas. Mas, uma vez mais, umas são fáceis pois o pedido é sempre igual (ou a forma de cozinhar), noutras é preciso atentar os ingredientes todos. São tantas refeições que por vezes sinto necessidade de ir ao modo de treino para me lembrar em que consistem e quais as dificuldades acrescentadas. Seria bom poder ter algum filtro que as distinguisse consoante o tipo de trabalho exigido ou então uma preview em vídeo a mostrar a preparação em alguns segundos, por exemplo.

No fundo, em cada dia que enfrentamos, podemos jogar um pouco com tudo isto. Posso, por exemplo, tentar colocar uns pratos valiosos que não custam tanto a fazer e equilibrar com outros que até podem ser menos valiosos, mas demoram mais. Ou o oposto. Traz um elemento estratégico interessante ao franchise.

No nosso pequeno camião, temos bastante vida com os efeitos de luz a passar, algum barulho de fundo, para quebrar a monotonia que dantes havia no silêncio do restaurante entre horas, e folgo em saber que a condutora sabe dar o pisca antes de cada paragem! Linda menina!

Outra coisa útil neste 3º título é o facto de ter no cantinho superior direito 3 pequenos quadradinhos com ✅ ou ❌, que me indicam se ainda estou com hipóteses de fazer a medalha de ouro ou prata ou apenas bronze (❌✅ ✅ = prata, por exemplo), o que ajuda se não me apercebi de ter falhado algo. No entanto, já reparei que isto não altera mal faço asneira com algum pedido. Só altera quando o serviço em cada paragem termina… Seria mais útil, a meu ver, se fosse instantâneo. 

Outra coisa que poderá ajudar no jogo, é que poderemos melhorar alguns atributos da rulote. Isto é óptimo porque nem sempre conseguimos o nosso melhor em alguns dias e há tanta dificuldade que preferimos tentar outro qualquer. Com os pontos que vamos ganhando para fazer upgrade, poderemos aumentar o tempo que demora até a comida nas HS se estragar, o tempo que demora até os clientes esgotarem a sua paciência, aumentar o número de HS, entre outros. Claro, há uma contrapartida. No esquema de upgrades, quase sempre é necessário passar por desbloquear mais uma Prep Station para as SO antes de fazer upgrade ao que realmente queremos. Isto traz mais SOs para servir antes de cada paragem, mas também dá mais trabalho. Depois podemos voltar aos dias que não foram favoráveis para nós no passado, mas com estes upgrades tornam-se mais acessíveis.

O jogo evoluiu de formas bastante positivas até agora, trazendo novidades sem estragar nada, nem mantendo a mesma fórmula. Há novas refeições incríveis (Croque Mounsier, Churros, Falafel, Grilled Cheese, Ratatuoille, Gelato, Pad Tai, Pavlova,…) de variados países. Claro, ainda estou muito chateada com o David (um sujeito lá da Vertigo Gaming responsável pelos comes e bebes) por ter metido o Croque Mounsier e não ter metido a Francesinha! Ou os Churros (que são de Espanha ou Portugal, ninguém sabe ao certo), e não ter metido mais nada com o nome Portugal! Ou Espanha, até… Tristeza! Mandei uma lista para eles! Pastel de Nata, Sopa da Pedra, Açorda, Bacalhau com Natas, Bacalhau à Brás, Alheira, Francesinha, Arroz de Marisco, Tripas à Moda do Porto, Carne de Porco à Alentejana, Ovos Moles, Bifanas (à Porto, tá?), Chouriço Assado e Polvo à Lagareiro. É bom que metam a equipa a trabalhar e desenhar deliciosos pratos com isto… *baba*

Os gráficos continuam de olhar a chorar por mais e a música continua característica do jogo. A melhor adição até agora foi a Cleaver para entregar os pratos que estão prontos numa simples tecla, em vez de ter que clicar em cada pedido pronto um a um. Que alívio! Depois temos também outras rulotes a querer competir na corrida até Nashville, que aparecem em algumas viagens a disparar por todos os lados e acabam por lixar uma HS, ou obrigam a condutora a desviar da rota e acabam por aparecer mais ou menos clientes. Oh bom… As robôs Cleaver e Whisk são também boas adições e é sempre bom ouvir os seus elogios no final de cada serviço!

Estarei atenta às melhorias. E espero que me tragam a comida portuguesa. E cá estarei para reclamar uma vez mais da falta da francesinha quando isto lançar para a Xbox One.

A equipa do Xbox PT Dummies agradece à Vertigo Gaming pelo envio do código do jogo para a realização desta preview.

3/5 (1)

Vota neste artigo

Deixe uma resposta

Next Post

Review – Everreach: Project Eden – 6.5/10

DATA DE LANÇAMENTO 4 de Dezembro de 2019ESTÚDIO Elder Games EDITORA Headup GamesSINGLE-PLAYER  ✅MULTIPLAYER ONLINE ❌MULTIPLAYER LOCAL ❌CO-OP ONLINE ❌CO-OP LOCAL ❌CATEGORIA Acção, Aventura, RPG, ShooterPREÇO 24,99€PLATAFORMA ONDE FOI JOGADO Xbox One XOPTIMIZAÇÕES PARA A XBOX ONE X ❌SITE OFICIAL por Soraia LobosTheGirlEffect Claramente inspirado em Mass Effect, Everreach: Project Eden é um RPG […]