Need For Speed volta às mãos da Criterion Games

Catarina Ferreira

Os últimos títulos Need For Speed têm tido os seus altos e baixos. Embora bem recebidos, no geral, pela crítica e fãs, estes últimos esperam sempre algo mais agarrado à nostalgia.

A Ghost Games, estúdio da EA, tem sido a principal responsável pelos últimos jogos, Need For Speed Heat (2019), Need For Speed Payback (2017) e Need For Speed (2015), tendo começado a criar o lar do franchise com a Criterion Games em Need for Speed Rivals (2013). O estúdio irá regressar ao seu antigo nome, EA Gothenburg, na Suécia, e estará responsável por suportar o desenvolvimento dos vários jogos da EA, tornando-se o ponto central de engenharia. Alguns membros da equipa são arquitectos do motor de jogo utilizado na maioria dos jogos da EA, Frostbite. Os restantes membros, da equipa criativa, deverão ser recolocados em posições na Criterion Games ou para outras posições na EA. Ainda assim, neste momento há 30 trabalhadores sem rumo.

De acordo com a EA, que falou com a gamesindustry.biz, a empresa tem tido dificuldades a encontrar o talento certo no estúdio para trabalhar no franchise. Por outro lado, a Criterion Games tem um legado bem conhecido e é das maiores equipas de desenvolvimento no Reino Unido, conhecida especialmente pelos jogos Burnout (algo que muitos fãs sentem também falta), mas também responsável por outros dois jogos NFS: Need for Speed: Hot Pursuit (2010) e Need for Speed: Most Wanted (2012).

Na nossa review, Need for Speed Heat recebeu 8.9/10, sendo considerado uma boa aposta da Ghost Games numa mistura de novidade com a essência de NFS.

Em 2013, a Criterion Games cedeu bastantes trabalhadores para a Ghost Games, embora dentro dos mesmos escritórios no Reino Unido. Na altura, a Criterion deveria começar a trabalhar em novos projectos, mas após a saída dos fundadores do estúdio, Alex Ward e Fiona Sperry em 2014, o estúdio acabou por servir apenas de suporte, tendo complementado a EA DICE em Star Wars: Battlefront e Battlefield V nos últimos 5 anos.

Agora, a Criterion Games será responsável pelo franchise Need For Speed na próxima geração. 

“Criterion é um estúdio fantástico, e estamos ansiosos para adicionar à sua talentosa equipa e construir um grande futuro para Need for Speed. As equipas de engenharia em Gothenburg também são vitais para nossos planos em andamento na EA.”, afirmou a empresa.

São sem dúvida mudanças importantes. De que forma ficará marcado o franchise? Veremos novidades, regresso à nostalgia ou um toque de Burnout? O que os fãs acharão? Teremos que aguardar por novidades até lá.

Não há votações ainda.

Vota neste artigo

Deixe uma resposta

Next Post

O mundo mágico de The Falconeer chega à Xbox este ano

Um indie inovador promete deixar-nos apaixonados. Este RPG na terceira pessoa, oferece-nos combate aéreo de tirar o fôlego, num jogo bonito e hipnotizante desenvolvido por apenas uma pessoa, Tomas Sala. Falconeer combina mecânicas clássica de combate a reviravoltas acrobáticas tudo num ambiente aberto inspirador e cheio de bestas e inimigos […]