Facebook
Twitter
Youtube
Discord
Mixer

Diário “Os Dummies voltam à E3! (ok…, só à conferência)” – Reflexões

E3 Os Dummies é que Sabem! Xbox One

Bom, estava aqui eu a acabar uns serviços e tal, antes de me pôr a desenhar o Dummie que representa o Phil, o último que me falta para depois mandar fazer t-shirts para eles e levá-las connosco. Coloquei música, e como sou de música instrumental épica, lenta ou mexida, alegre ou melancólica, dei por mim a pensar nos Xbox PT Dummies, em alcançar sonhos, em lutar por eles, em todos os dias que só queria desistir, em todos vocês que me levantaram com uma simples palavra de reconhecimento pelo que fazemos. E bom, deu-me para o lado sentimental que já começa a ser cliché em mim.

Mas que dizer? Claro que sou sentimental a falar disto. O Xbox PT Dummies foi uma criação minha. Por muitos que amem estar aqui, cuja presença, passageira ou duradoura, irei sempre agradecer eternamente, não há mais ninguém que ame isto como eu. Que possa dizer que isto foi algo que veio de si mesmo. Que possa dizer que nasceu em si. É um privilégio, uma honra e um orgulho termos chegado aqui. Tudo porque uma gamer se fartou de todos os outros grupos e comunidades e criou o seu, onde todos pudessem sentir que eram bem-vindos, independentemente dos seus feitios e características, o nosso amor pelos videojogos e, mais concretamente, Xbox, deveria falar mais alto do que as nossas diferenças, estas últimas que devem ser celebradas. Um grupo onde todos podem ser quem são, sem ter medo de partilhar os seus gostos nem serem julgados por tal devido a ideias erradamente pré-concebidas.

Foi um impulso. Lembro-me de me ter fartado de um grupo anterior onde era administradora e pensei mesmo “Estou farta desta merda, fosga-se, pronto, toma lá, Xbox PT Dummies, quem quer vem, que não quer não faltam grupos.”

Olhando para trás, fico melancólica, pensativa, emotiva, sentimental e sorrio com a forma como a vida se organiza. Estava ainda a estudar na faculdade e todos os meus planos e perspectivas eram completamente diferentes. Queria ser pintora, organizar exposições, causar impacto na sociedade de forma positiva, de forma a que quebrassem o ritmo aborrecido do dia-a-dia, nem que a minha arte simplesmente lhes alegrasse o dia, pois muitos apenas precisam dessa pequena força. Pode parecer pequena, mas basta e dá aquela pequena teimosia em nós “Não. Não desisto. Vou continuar mais um dia.”

Com o tempo fui vendo esse futuro, essas ideias, esse sucesso cada vez mais longe. Lidei com uma fase complicada, em que tive que decidir o que queria fazer da minha vida. Quando tudo o que tentei tinha falhado. Seja porque motivo for. Sou daquelas pessoas que acredita que nada é por acaso, que tudo tem o seu propósito. Nem vos imagina o desgosto que ainda tenho a olhar para as minhas telas arrumadas num canto da garagem porque vivo num mundo onde gastar meia dúzia de paus numa tela (que eu considero) bonita é um desperdício ou desnecessário. Talvez seja para os outros, mas a cura que me dá a pintar é algo de outro mundo.

2018 foi um ano de decisões. Após um site estabelecido e o nome a começar a aparecer em algumas bocas, com as coisas a crescerem e correrem bastante bem neste pequeno projecto que foi crescendo com o tempo, cujas ambições se tornaram cada vez maiores, cujas proporções nunca intencionei, comecei a desistir cada vez mais da ideia da minha área, a das artes plásticas, pois já nem encontrava motivo para tal.

Pedi um sinal. Se deveria insistir com as artes, ou se deveria investir nos Dummies. Literalmente, sem esperança nenhuma nem pinta de pista sequer, disse sozinha em pensamento “Simples. Se o caminho fosse de facto os Dummies, ganhávamos os bilhetes para o Xbox FanFest…” e a pensar a seguir “Mas isso não vai acontecer…” Fui pintar um pouco, já não o fazia há meses. Senti-me bem. Mais conectada ao Universo. Ainda em baixo ia fazer o jantar quando me deparo com o mail “Congratulations, you won …”. Foi como se tivesse ganho a lotaria! Estava parva, estava contente, estava entusiasmada, estava completamente doida! No meio de tanta reacção, só horas mais tarde na calma da noite me lembrei. “Se o caminho fosse de facto os Dummies, ganhávamos os bilhetes para o Xbox FanFest…” Lembrei-me de há 1 ano atrás o Tiago ter dito “Para o ano vamos à E3” e eu a pensar “Yeah, right…”. Lembrei-me do tweet que fiz para o Inside Xbox de Abril de 2018 a dizer “One day I’ll be at E3… One day…”

Little did I know…

E a partir desse momento jurei a mim mesma. Nunca desistir, por muito difíceis que fossem os dias, as lutas, os obstáculos. Nunca baixar os braços até este projecto, esta ideia se tornar em algo mais concreto e, quem sabe, causar impacto no mundo. Que seja por onde desse, a sorte estava do meu lado. A minha questão foi respondida da forma mais épica que poderia imaginar. Que, ao contrário de todas as outras coisas que tentei fazer, esta estava a resultar. Estava, espero, a fazer a sua marca positiva nas pessoas. E quando estive em Los Angeles, no Xbox FanFest, a trocar palavras com o Chris, com o Aaron… Senti-me em casa. Pura e simplesmente senti-me em casa. Não há nada que mais nos preencha que esse sentimento. De pertença. Especialmente num mundo tão caótico, onde as boas pessoas são raras, e onde tanto parece errado, e há tanto que não compreendo. As pessoas, a convivência, o tema. Eu pertenço a um lugar. Eu pertenço ao mundo da Xbox. Tal como muitos de vocês. Acima de tudo, eu devo tanto a este mundo. Tanto! Os problemas que me ajudou a ultrapassar, a forma como me inspirou, a forma como me fez procurar ser melhor, a forma como me fez tentar ser um bom exemplo, a forma como trouxe tanto para a minha vida, a nível pessoal, emocional, profissional. Acima de tudo, por me ajudar a encontrar uma casa. Num mundo onde me sinto completamente alienada de tudo e todos.

Uma das pessoas mais brutais que conheci. Incrível!

Neste ano que passou, muita coisa aconteceu. Foi um turbilhão de emoções. Estar aqui não é fácil. Cansei-me tantas vezes. Quis mandar toda a gente a um sítio nada simpático tantas vezes. Deprimi, zanguei-me, ri, tive momentos tão bons, mas chorei tanto também. Vi-me num buraco vazio sem esperança de futuro nenhum. Mas de cada vez que eu desesperava, algo extraordinário acontecia. De cada vez que eu pensava “Se mais alguma coisa acontecer, eu dou em maluca”. Basicamente, nunca desisti por vocês. Porque tenho a perfeita noção que se eu sair, o Xbox PT Dummies morre. E tudo o que ficou associado a esta comunidade ia também. E pensei sempre que não podia desiludir ninguém. Mas quando perdíamos batalhas, não muito depois havia surpresas. O Mike a seguir-nos no Mixer. A Xbox a seguir-nos no Twitter. Sermos convidados para assistir à conferência da Microsoft. Saber que o Phil vai estar cá em Portugal em Novembro. Por cada membro da equipa que saía entrava outro mesmo na hora certa. Por cada desilusão, chegava uma notícia boa.

Esta semana houve mais um passo atrás. Mas como alguns dizem, por vezes é preciso isso para nos alavancarmos para a frente. Sei que demos a entender que teríamos uma reunião importante em breve, com uma das pessoas responsáveis pela situação de cá. Mas pelo meio as coisas não correram como esperávamos. E no meio da frustração, a andar depressa para o cinema ver o Godzilla, lá me distraí com o filme. Voltámos a casa e fui ver a caixa de correio. O nosso contacto dos EUA respondeu aos nossos desejos de uma excelente E3 e demonstrou desejo por se encontrar connosco. Mais uma notícia incrível que derruba qualquer pequena batalha perdida. E não foi o único.

Como outros dizem, Deus escreve direito por linhas tortas. Ou há males que vêm por bem. Seja qual for a vossa escolha, se não fosse essa pessoa para a reunião que pensávamos que íamos ter, nem sequer teríamos sido convidados para a conferência. E quando soubemos que afinal seria complicado, eis que encontramos um motivo que vale mais que 2 horas de conferência. Uns minutos com o fantástico indivíduo que fez de tudo para nos ajudar, e ainda encontrou 5min no meio dos ensaios da conferência para nos responder e dar-nos o seu contacto para nos encontrarmos.

Taylor e Tiago! (Uh… Ignorem o desconhecido ali atrás… lol)

E depois olho para trás. Para aquele grupo que nasceu a 22 de Setembro de 2015. Há quase 4 anos. Criado por uma pessoa que nem sonhava o que aquilo ia começar. Nem esperava alcançar tanto, junto, claro, com todas as pessoas que passaram pela equipa ou que ainda fazem parte dela, o companheiro a abraçá-la quando precisava, a fantástica comunidade que sempre gostou e acreditou em nós. Afinal, o grupo foi criado para a comunidade. Sem ela isto não existe.

Depois de tudo o que alcançámos todos juntos. De todas as coisas incríveis. De todas as conquistas. De tantos sonhos que nem sabíamos que tínhamos. Digam-me, pessoal… Acham mesmo que é assim tão impossível ter o que todos merecemos? Difícil? Nada que valha a pena é fácil. Todos estes passos, estas batalhas, os dissabores e as pequenas vitórias estão a preparar-nos todos para algo de incrível que pode e VAI acontecer, se todos nos unirmos.

Não estamos aqui pela fama. Não queremos presentes. Não queremos brindes. Queremos o vosso sorriso quando conseguirmos, a pouco e pouco, um melhor apoio da Xbox em Portugal. Um FanFest. Porque quero que se sintam em casa como me senti… É só isso que eu quero… E com tanta coisa incrível que aconteceu, com tanta coisa incrível que vai acontecer. Posso ir abaixo, posso deprimir, posso estar cansada. Não tenho férias há 2 anos e nem sequer sou paga (sou uma triste, não é?). Mas sinto a vibração a mudar. Sinto que coisas maravilhosas estão para acontecer.

This is who we are…

Um dia disse que iria à E3 e fui bem mais cedo do que imaginava, mas fui.

Um dia iremos todos olhar para trás, para as lutas, para as derrotas, para as vitórias, para tudo isto. Olhar uns para os outros, sorrir por um sonho grande conquistado, num ambiente cheio de verde à volta, com um stand do Sea of Thieves, monitores e consolas com jogos, com staff do Halo, Gears e Forza, com o Chris, o Aaron, o Mike, o Phil,… e o nosso amigo, porque assim o consideramos, o Taylor. O sujeito que viu o Tiago na pizzaria e meteu conversa. O mesmo que quer ver-nos de novo ao fim de 1 ano a trocar e-mails. O mesmo que nos ajudou em tanto. O mesmo que valorizou o nosso trabalho e esforço. Que nos reconhece por isso e nos dá provas que reconhece de facto. Tal como o Aaron e o Chris. Por vezes, mais que alguns dos portugueses. Não me interpretem mal. A comunidade é incrível. Mas quando subestimam os Xbox PT Dummies não estão a subestimar meia dúzia de pessoas. Ao contrário do que possam pensar, estão a subestimar a capacidade de uma comunidade de unir, erguer e conquistar. Estão a subestimar-se a vocês mesmos.

Se algo que começou por uma única pessoa se tornou nisto… UMA pessoa que se lembrou de criar um grupo e administrá-lo. O que poderíamos fazer se cada um de nós tentasse fazer algo mais? Não há limites para os sonhos. Nós é que os impomos. Colocamos limites, acreditamos que os sonhos não são possíveis.

Não somos prova viva disso?

Então… Do que estamos à espera?

Portanto, iremos, de mente aberta, com alegria ao peito. Iremos oferecer t-shirts com Dummies para alguns deles, contamos estar pelo menos com dois. Acham que isso não causa impacto?

O Xbox FanFest também começou por uma pessoa.

A Xbox começou por uma ideia.

A Microsoft começou numa garagem…

Nunca deixem de acreditar. Nunca. Nem de desistir.

E por falar nisso. Desisti da pintura, diriam vocês. Não. Pinto ainda. Perdi a batalha, não o sonho. Apenas não é a altura certa. Um dia tudo pode mudar. Além disso, uso a minha arte aqui. Nos Dummies e brincadeiras. Mas a arte não está nas mãos, está no coração de cada um de nós, em fazermos aquilo que nos apaixona, que vibra em sonância com o nosso ritmo de dança da vida.

Nenhum grande feito foi alcançado sem lutas, testes difíceis e muitos pensamentos de desistência.

Felizmente, sou teimosa. E sonhadora. E apaixonada por isto. Nem consigo conceber sequer como nem o porquê disso. Mas estou eternamente grata por tudo. E, seja no que resultar, mais uma vez digo.

Vivi já muita coisa incrível. E vocês são grande causa disso.

Bom, com a música, sentimentalismo da madrugada e olhar certas recordações (porque guardo uma memória de todas as conquistas e palavras), emociono-me e quase que me cai algo do olho. Quase!

Vemo-nos em breve.

Amo esta comunidade. Amo tudo isto.

Vou mas é fazer o Dummie do Phil. Tenho que o tornar reconhecível. Meter umas covinhas, aqueles olhos bem fechados quando sorri e tal. Talvez uma coroa na cabeça. lol

Uma boa noite!

5/5 (3)

Vota neste artigo

Fundadora do projecto Xbox PT Dummies, Escritora, Reviewer e Designer

4 Comentários

  1. Em toda a honestidade, não obrigaram ninguém a dar o que quer que fosse, até porque sinceramente pediu-se apenas uma pequena ajuda para amenizar os custos totais daquilo que é uma viagem para L.A.
    Dado que isso possa não vir a ter muita aderência, que até certo ponto entendo a desconfiança das pessoas nestas “causas”, os Dummies irão na mesma, com ou sem ajuda.
    Desculpem se achámos que seria algo transcendente contar com a ajuda da nossa comunidade, ergo Portugal e Xbox.
    Agradecemos, obviamente, a quem nos ajuda e nos mantém o sonho vivo mas também não ficamos sentidos com quem não pode/ não quer ajudar.

    Resposta
    • Exacto. Muitos não podem e fizeram até sacrifício para dar um tostão que seja. Quem não pode/quer, não nos chateia. Percebemos perfeitamente desconfianças que possam ter, e muitos dos que nos apoiam mais não têm possibilidades financeiras nenhumas. E damos bem mais valor a esses do que a quem não nos liga mas se calhar é capaz de doar uma grande quantia.

      Resposta
  2. kerem e mamar a custa dos outros para ir viajar sabem e muito

    Resposta
    • Olá JP!

      Bom, dado que de facto a viagem é dispendiosa, anunciámos que aceitamos doações, mas só dá quem quer. Felizmente temos possibilidades financeiras para ir, e por um bom motivo, embora depois deste ano seja para esquecer. Ficamos a zeros 🙂 Seja como for, isso nem sequer foi mencionado aqui neste artigo… Nenhum link ou informação sobre onde doar sequer.

      As pessoas da Xbox com quem vamos estar são talvez a nossa última oportunidade de conseguirmos que as coisas melhorem em Portugal. Só isso vale a pena. E dado que vamos lá e nada iremos trazer connosco, senão talvez, quem sabe, a esperança ou certeza de que nos irão ouvir, é uma viagem dispendiosa que iríamos fazer com ou sem doações, demonstras realmente muita falta de informação.

      Aliás, streamers e criadores de conteúdo vivem à base de doações, subscrições e outros. E não te faltam exemplos de quem viva à grande dessa forma. O que nós queremos é apenas a possibilidade de conseguir conversar com algumas pessoas. Mas não te preocupes, que podemos ir sozinhos sem ajuda financeira. E tal como para quem compra Ferraris e mansões do que recebe em streams, as pessoas que seguem sabem bem para onde vai o dinheiro doado. E até agora, NENHUMA quantia recebida em nome dos Xbox PT Dummies, nem de comissões, foi utilizada para proveito próprio, apenas para o projecto e para alcançar o nosso objectivo. Muito foi até para comprar jogos para sortear aos nossos seguidores 🙂

      Se tens dúvidas, teremos todo o gosto em explicar-te o que estamos a fazer. Pois pareces pouco informado/a, claramente. Podes explorar melhor o site, consultar as páginas e perceber que a nossa missão é trazer a Xbox de volta a Portugal.

      Obrigado pela atenção 🙂

      E bons jogos!

      Resposta

Deixa uma resposta

O teu endereço de e-mail não será publicado.

Tu podes usar estes HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>