Facebook
Twitter
Youtube
Discord
Mixer

Diário “Os Dummies voltam à E3! (ok…, só à conferência)” – Conferência Microsoft

E3 Os Dummies é que Sabem!

Após uma longa viagem, muitas emoções, aventuras e experiências, não podia deixar de fazer o resto do diário da ida a Los Angeles. Depois de tanto nervosismo da grande viagem e quase me dar o tilt, lá fomos às 6h30 para o aeroporto de Lisboa, apanhar avião para Boston, depois para Los Angeles, onde chegámos quase às 22h00 locais e logo nos dirigimos para o hotel. Na altura ainda pensámos passar pela Xbox Plaza, mas mais valia era dormir…

Ai o caos… Ai o caos que está a vir!

Dada a diferença horária, acordei pelas 6h00 e pelo portátil fiquei, a ver o stream da Ana a passear em Lisboa com o Bruno e a usarem as nossas t-shirts! Lá pelas 10h00, obriguei o Tiago a levantar-se da caminha e lá nos preparámos para ir. Desta vez fomos só uma vez a pé até lá, porque parece que não, mas 40min a andar com calor até custa. Fomos buscar algo para comer. Comi o melhor muffin da minha vida, tinha pepitas de chocolate.

Andámos a passarinhar pela Xbox Plaza de manhã, respirar o ambiente, ver os cartazes e publicidades, ver a nova calçada da fama, bem mais linda e importante que aquela em Hollywood.

20 placas! Em celebração a várias conquistas, desde o lançamentos da Xbox, a Halo, Gears e Forza, até Kinect e Adaptive Controller. No espaço havia também 3 placas sem inscrição. A que se deverão? xCloud? Project Scarlett? Halo Infinite? Veremos…

E portanto, passado um bocado, lá demos conta de onde seria a entrada para os media. Já estavam umas boas centenas de pessoas por lá. Estivemos 1hora, talvez, a torrar ao sol. Sinceramente essa parte foi a pior da experiência. Estar directamente ao sol, especialmente tão quente, faz mal. Uma pessoa pode sentir-se mal ou desmaiar. O Tiago apanhou um escaldão! Vi gente a escorrer água. Bem podiam ter colocado uns guarda-sóis, coisa que colocaram apenas para os fãs do FanFest, numa altura do dia em que a mesma zona já nem sol tinha… Sério?

Enfim. Com uma sede desgraçada, até se houve eu no vídeo quase tola com o ar fresco que saía da entrada. Lá vimos o verde em todo o lado, já um stand da Xbox Official Gear Shop, o Tiago quase a chorar porque queria já espreitar os artigos da loja, mas eu estava preocupada era com os lugares. Como sempre, o Microsoft Theater é arrebatador.

Um ambiente espectacular, é como misturar o espectáculo de um filme e um concerto. Mesmo quase 1 hora antes do seu começo, já estávamos a sentir a excitação no ar. Lá arranjámos espaço no palco gigantesco, caminhando com as nossas t-shirts prometidas aos fãs que doaram, com as respectivas gamertags nas nossas costas. Já víamos lá dentro, mais abaixo, os fãs do Xbox FanFest. Depois de nos sentarmos, corri ao WC, vi que dava para comprar água numa máquina, mas voltei para primeiro buscar dinheiro, lembrei-me de fazer uma chamada de vídeo ao pessoal que estava no 1UP e depois pensei “Se lixe, vou ver se encontro o Aaron”. Quem não arrisca não petisca, certo?

Lá fui até à frente do palco, onde estavam montes de fãs. Conheci pela primeira vez amigos do Twitter, os gémeos Joshua e Justin, assim como o edifício (lol, coitado), Reclaimer Rob, todos fãs de Xbox de longa data que estão presentes no que podem. Estávamos a conversar casualmente por uns minutos, perguntei se viram o Aaron (e mesmo antes disso já via o Mike algures na converseta). Entretanto chamam-me a atenção para nada mais nada menos que a própria Bonnie Ross, a patroa da 343 Industries. Cumprimentaram-na, porque até já a conheciam, alguns, e apresentei-me. Falámos sobre Halo. Perguntou-nos quais os nossos favoritos. Explique que comprei Xbox por causa de Halo e que sem ele não estaria ali. Liguei ao Tiago para vir ter comigo, porque estava com a Bonnie Ross e queria que ele a conhecesse. Ele lá conseguiu que os nossos lugares ficassem marcados. Entretanto vi o Aaron, pedi licença e fui ter com ele. Relembrei-o quem eu era, o Tiago chegou entretanto e então disse-lhe que tinha as t-shirts comigo. Mostrei as 5 t-shirts (Aaron, Chris, Mike, Phil, Taylor) e ele adorou! Ofereceu-se para entregar as restantes ao resto do pessoal, mas dissemos que queríamos ver a reacção de cada um e ele lá levou a dele. Voltámos à conversa com a Bonnie Ross, super acessível e simpática, apresentei o Tiago, disse o que fazíamos, que havia montes de fãs de Halo em Portugal e que quando um dia houvesse um FanFest, gostaríamos de ver a presença de Halo. Sem grandes pormenores, posso apenas dizer que isso é bem mais possível do que a maioria de vocês pensa…

Ela gostou tanto de saber do nosso trabalho que pediu-nos um cartão com os nossos dados! Para ver e saber mais! Pedi-lhe desculpa por não ter um, mas lá arranjei um papel que rasguei da folha com o horário da E3 e escrevi o email e o site. Perguntei-lhe se a letra era perceptível e ela respondeu que bastaria colocar os óculos. lol Foi uma boa conversa. Entretanto o Aaron aproximou-se de nós e ela basicamente diz “Aaron, olha estes dois são de Portugal, estão a fazer esforços pela Xbox por lá…” e ele responde “Sim, eu conheço-os!” (damn… o orgulho do nosso trabalho!… Até cai uma lágrima do canto do olho…).

Lá nos despedimos. A última coisa que lhe disse foi “É bom que este Halo seja bom.” DERP. Será que devia ter dito isso? Ahahahah. Mas ela levou na boa.

Finalmente nos sentámos e fomos esperando a hora. Ainda tentei voltar atrás buscar água mas já tinham fechado as portas! 2horas sem beber. Que bom… Mas com o entretenimento todo, nem demos por nada.

Os primeiros anúncios já eram esperados. The Outer Worlds finalmente com data de lançamento. Bleeding Edge já tinha sido, infelizmente, espalhado pela internet. Dificilmente havia gente na conferência surpreendida. Estou entusiasmada por esplorar The Outer Worlds e o Bleeding Edge tem um aspecto muito divertido! Não muito tempo depois, os lindíssimos visuais de Ori enchem o espaço com o seu ambiente único e, finalmente também, uma data de lançamento! Aparece Minecraft, e enquanto esperava mais um conteúdo “seca” (desculpem, apenas não sou fã do jogo), fui surpreendida com Minecraft Dungeons e até fiquei com curiosidade em experimentar! Sempre gostei de cenas assim, top-down shooter.

Era mais que óbvio que a conferência estaria cheia de trailers e anúncios logo desde o início. Uns conhecidos, outros menos. De cada vez que aparecia “World Premiere” no ecrã, todos gritavam e aplaudiam mais, entusiasmados com o que estaria para acontecer! No meio disto tudo, também me irritava ter uma rapariga à frente, media, certamente, sempre com a porcaria do portátil no colo. Ora tirava fotos do evento (ok…), ora andava a escrever coisas que nada pareciam a ver com a conferência, enquanto alguns trailers passavam ou as pessoas falavam. E pelas fotos e vídeos que vi por aí, parece ser mais que comum. Por favor, deixem esses de lado e metam fãs no meio. Obrigado!

Star Wars: Jedi Fallen Order e Blair Witch também a seguir, um conhecido e outro surpresa, tanto que na altura disse “Outlast 3?”, pois a cena da câmara parecia mesmo! Enfim. Chega a vez de Cyberpunk 2077, um jogo que certamente quase toda a gente está entusiasmada por experimentar. Passam lá o trailer e só penso “Será que sempre darão data de lançamento hoje? Hum…”. Seja como for, lá termina o trailer, aparece um fulano cuja cabeça não vemos. Acho que falo por todos quando digo que ninguém fazia a mínima ideia que raios de cara ia aparecer ali. Ninguém imaginava John Wick! Quer dizer… Neo! Perdão… uh… como?… Ah! Keanu Reeves!

YOU’RE BREATHTAKING! O meme, gif, momento que viralizou pelos quatro cantos desta esfera redonda porque um fã do FanFest se lembrou de dizer isso.

A multidão passou-se, a aplaudir e aos berros, tudo louco. Como estava na ponta da esquerda, só me apercebi da presença da lenda Keanu Reeves quando ouço a voz “Please welcome, Keanu Reeves.” e gritei “WHAT????”. Logo me lembrei da minha mãe, fã do actor provavelmente desde antes de eu nascer, e que mal a conferência acabasse ia ligar-lhe, e que sabia que ela ia ficar triste.

A presença dele era tão descontraída. Parecia um puto feliz. De todos os anúncios, datas, revelações e momentos altos, nada bateu este. Seja na conferência da Microsoft, seja na E3 inteira. Que segredo TÃO bem guardado! Aliás, no geral fiquei feliz por ver que este ano houve pouquíssimos leaks. A equipa da Xbox está de parabéns.

Depois vimos uma variedade de jogos… Spiritfarer, o esperado Battletoads, a carrada e carrada de jogos indies trazidos pelo programa ID@Xbox e para o Xbox Game Pass. E por falar nisto, lá vieram as novidades acerca do Xbox Game Pass Ultimate, que ainda por cima recebe o Xbox Game Pass para PC sem alterarem o preço que antes tinha sido anunciado! OH MEU DEUS! Lá começam a mostrar o Flight Simulator e, antes de saber o que era, só pensava “fogo, andam a publicitar filmes em 4K agora, é?” Bom… Todos sabemos o resultado. São apenas gráficos feitos a computador simplesmente fenomenais! Fiquei de boca aberta!

Como raios era suposto eu saber que isto era feito em computador??? Já viram bem????

Age of Empires II: Definitive Edition, bla bla bla. Wasteland 3, ok. Psychonauts 2 a caminho, com a Double Fine a juntar-se aos estúdios (Fonix, só isto? Crytek? Nada? Nada? Vou chorar…). Meh. Mas depois aparece… “A long time ago, in a galaxy far, far away…” e fico “Oi? Impossível. Além de Star Wars Jedi: The Fallen Order, ainda é cedo para outro.” Começa o trailer, ainda sem perceber o que era, digo ao Tiago “Só se for um LEGO, lol!”

Oh well… Era. Com os 9 filmes. Sendo que joguei os LEGOS de 7 deles. Who cares? Vou batidinha jogar esta Skywalker Saga! Devo ter sido a única pessoa na plateia toda feliz!

E continuam com mais trailers e anúncios. Dragon Ball Z: Kakarot, 12 Minutes, Way of the Woods. Tenho a destacar que, durante a conferência toda, havia um pequeno grupo de pessoas a “traduzir” o conteúdo para as pessoas com problemas auditivos, algures lá à frente da primeira fila. Penso que o vídeo que gravei foi durante o trailer de 12 Minutes. Tive que gravar o esforço e dedicação destas pessoas, bem como a preocupação para que todos se sintam incluídos na experiência. Além disso, há sempre dois ecrãs grandes em cada lado do teatro com a imagem e, por cima, legendas geradas automaticamente na hora. Mas este último já sabia no ano passado.

Chega, finalmente, Gears 5! Acho que todos esperavam um gameplay ou, pelo menos, mais um pequeno trailer que mostrasse mais da história em vez aa Kait a ter um ataque esquizofrénico. Com tanto hype e publicidade, foi este talvez o ponto que me desiludiu mais. Seja como for, não faltou conteúdo para mostrar e de facto o pessoal sabe fazer espectáculo. Além das folhas no Forza Horizon 4 ano passado e as fitas no final do trailer de Battletoads este ano, ainda chegaram a meteram fogo no palco. E não é do Keanu Reeves que estou a falar! Estava a uns bons metros de distância do palco e senti bem aquele calor. Fonix!

Isto é que é dar show! Àquela distância, imaginem sentir o calor na cara…

O novo Elite foi uma surpresa bem recebida, especialmente depois de lançarem uma versão branca da primeira edição sem qualquer alteração a um comando que, embora impecável, vem com defeitos de fabrico. Portanto foi bom saber que melhoraram o comando. Mas ainda assim vem com um senão: bateria incorporada. Das melhores coisas dos comandos da Xbox a ser deitada ao lixo. Gostaria seriamente de saber se há um motivo que realmente justifique isto, pois a medida não foi nada popular, e tenho que concordar.

Quando mostram o logo de Forza Horizon 4, lá percebi que iriam de facto anunciar novo DLC. Virei-me para o Tiago “Ouvi dizer que era capaz de ser algo com LEGO”. Aí vemos carros, camiões com vacas e tudo o mais feito de LEGO, rio-me, o Tiago fica parvo a olhar para o ecrã e depois começa a música… EVERYTHING IS AWESOOOOOOOOOME! E só fui na onda. Meteram lá um Senna feito a LEGO e tudo. Jasus! Por acaso, até de longe dava para perceber bem que era LEGO. Só pela falta de brilho.

EVERYTHING IS AWESOOOOOOOOOOOOOOOOOOOME!

Gears POP, State of Decay 2 (com ainda mais conteúdo!? YES!), o público a vibrar com Phantasy Star Online 2 que até disse ao Tiago “Estás a ficar excitado com isto, certo?”. Ele não negou! Crossfire X, Tales of Arise, Borderlands 3, Elden Ring,… Eu queria lá saber a conferência toda que jogos eram. Se eram o meu estilo se não. De 60 jogos provavelmente só quero MESMO jogar uns 10, mas aplaudi sempre da forma mais igual possível (excepto aqueles que eu gostava mesmo), e deliciei-me a olhar para o conteúdo maravilhoso que os estúdios fazem, onde milhares de pessoas empregam o seu coração. Seja qual for o meu gosto, isso não importa pois há sempre alguém feliz. Há sempre alguém que vai adorar seja que jogo for. A diversidade, a quantidade, a qualidade, todos mereceram ser aplaudidos.

Finalmente soubemos mais sobre a xCloud e que, se temos uma consola, o serviço é gratuito! Como raios pode haver gente a falar tão mal da Xbox???? Isto é impressionante! Depois, os pequenos pormenores da Project Scarlett, da forma que sempre adivinhei que seriam apresentados. Um pequeno teaser, o seu propósito e um apontamento final para quando a podemos esperar. Mas… 120fps? CREDO! Isto é possível sequer? Bom, isto vai rolar…

E eis que… O Phil menciona Halo Infinite. E eu penso, calmamente… “Here we go.”

Um trailer super simples, tranquilo. Definitivamente que o Splipspace Engine dá uma cara completamente diferente a este Universo. Trazendo humanidade a um personagem que espero ser mais que apenas uma presença num trailer. Perdido algures no espaço, quando recebe um aviso. Por momentos fiquei “KORROR, FLOOD AGORA?”, mas vá, era só aquela armadura épica a flutuar no vazio do espaço. Aquela armadura inesquecível, por mais que passem os anos. Aquela armadura que nos dá esperança. Que nos enche o peito de orgulho. Que nos enche de honra. Que nos preenche o coração. Um trailer tão simples, a demonstrar uma vez mais o novo motor de jogo e que, ao contrário do que muitos dizem, até demonstra um vislumbre de gameplay. As pessoas aplaudiram quando o Master Chief acorda e se vê um HUD clássico. A Bonnie Ross tinha razão. É um reboot espiritual, que mistura a trilogia mais amada e mais importante da história da Xbox (diria eu), Halo: Combat Evolved, Halo 2 e Halo 3. Aliás, a armadura até se assemelha a Halo: Legends. Claro que ficamos com mais perguntas que respostas. Que Halo destruído era aquele? O que aconteceu ao Chief e à Blue Team para ele se encontrar perdido no espaço? O que anda a Cortana a tramar?

Seja como for, estou ansiosa. Um ano parece muito, mas a verdade é que é bem pouco. Não tarda nada estamos a jogar o que espero ser um jogo maravilhoso… Ouviste bem, Bonnie??? lol

Estou feliz por ser gamer nesta altura, por ter tantas experiências maravilhosas em tantos mundos diferentes. Estou grata por poder fazer parte disto e, após as reacções, entristece-me haver quem se esqueça a linha que separa a crítica da exigência exagerada.

As conferências são todas diferentes. Acho que a de 2018 foi mais épica, só pelo anúncio de Halo Infinite inicial, Battletoads e a surpresa incrivelmente bem estruturada com a revelação de Cyberpunk 2077. Mas todos os anos pedem coisas diferentes. Ano passado foi revelação de alguns projectos e compra de estúdios. Este ano foi demonstração de jogos não muito centrados na Xbox, com anúncios atrás de anúncios. Para o ano será a consola e provavelmente muitos mais jogos por vir, especialmente BEM centrados na Xbox, claro. Para mim basta o Halo Infinite. Ehehehe

Mas provavelmente há um grande factor que torna impossível desgostar de uma conferência da Xbox. Assisti a duas até agora, mesmo LÁ, e embora diferentes, seja que conteúdo trouxerem, seja para que público for, a Xbox sabe dar um espectáculo. E ver o staff, os líders, os CEOs e mais o que for, misturados com media e fãs lá em baixo simplesmente a conversar, sem filtros, sem barreiras, sem separação entre empresas e clientes.

Se um dia tiverem oportunidade de ir, mesmo que esgotem todos os recursos, Carpe Diem, gente… VÃO! O dinheiro volta. Se acharem que vale a pena arriscar, nem pensem mais vezes. Ide. Ide ver a conferência. Estejam com as pessoas. Vivam o ambiente. Seja a conferência, seja a E3, seja a Gamescom, seja um FanFest… Se puderem, VÃO. Se a Xbox é a vossa casa, qualquer evento onde possam estar com estas pessoas vão fazer-vos sentir em casa. E não há nada como ver uma conferência da Microsoft ao vivo.

Ano passado nunca imaginava fazê-lo e fiz como fã. Este ano também não pensava e fi-lo como media. Estou tão cansada que acho que mais depressa ia para o Algarve relaxar do que para a E3 2020, com tudo pago, mas desisti de sequer pensar muito. Quem sabe se vamos. E em que termos.

Atrevam-se a sonhar!

Bom, lá terminou aquilo, fomos comer e larguei o Tiago na Media Showcase, porque apenas havia slot para um de nós e pedi à Xbox Portugal para meter o nome dele. Esta parte seria melhor falarem vocês com ele. Aliás, ele acabará por falar um pouco de todos os jogos que jogou, e até do novo comando Elite. Das 16h às 18h fiquei cá fora sozinha. Não sei se foi da viagem, de o Taylor nunca mais responder às nossas mensagens (sim, ele deu-nos o número dele para nos reunirmos), se foi pelo Tiago estar lá dentro e eu cá fora. Talvez um misto de tudo.

Parei para reflectir nestes quase 2 anos. Especialmente no ano que passou, cheio de alegrias e tristezas, conquistas e dores de cabeça. Ir atrás dos nossos sonhos nunca será fácil. Senti-me melancólica e triste, na verdade. Por estar cansada, por não ver as coisas a avançar. A única esperança que tinha era no Taylor. E mesmo assim sentia-me estúpida. Afinal a Bonnie Ross tinha pedido contacto nosso! Acham normal eu andar em baixo??? Argh, que idiota…

Seja como for, vislumbrei o Chris a dirigir-se ao Hotel onde a equipa fica, bem ao lado do Microsoft Theater, e ainda tentei correr atrás, mas fui tarde. Deprimi um pouco mais, mas passado uns 15min saiu. Tinha apenas trocado de roupa e ia jantar. Cumprimentei-o, disse-lhe que tinha um presente e ele agradeceu! Teve que ser rápido, mas foi bom revê-lo. Nem quis chateá-lo muito com “BRING ME XBOX FANFEST TO PORTUGAL, GOD DAMMIT!”.

Chega o Tiago com casaquinho, pins e o carago. E eu deprimida por não ter estado lá com ele. Mas lá fez contactos, curtiu do pessoal. Isso é que importa! Depois fomos embora, a pé até ao Hotel porque não conseguíamos ligação wi-fi com Uber nenhum depois de fazermos umas compritas para comer… Argh. Que sacrifício…

Acho que jantámos a ver Futurama na TV e nem me lembro de ter adormecido… Combinámos que no dia seguinte iríamos ligar ao Taylor, e que logo veríamos o que fazíamos!

ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ………..

5/5 (2)

Vota neste artigo

Fundadora do projecto Xbox PT Dummies, Escritora, Reviewer e Designer

Deixa uma resposta

O teu endereço de e-mail não será publicado.

Tu podes usar estes HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>